Finalmente Marvel!

Eu sempre fui louco por cinema. Lembro muito bem do dia no qual minha avó me levou para assistir Bambi. Era um pequeno moleque de cinco, seis anos de idade e já me encantei com aquele universo. O tempo passou, eu cresci e fiquei bastante criterioso em relação à 7ª arte. Exageros, buracos no roteiro, erros de fotografia e atuações duvidosas me incomodam (e muito).

Ultimamente um gênero de filme tem me causado certa irritação em particular: as adaptações de quadrinhos/heróis. Quando você transporta um personagem de uma mídia para a outra (HQ’s para cinema), o procedimento é sempre muito complicado. Você tem que lidar com os fãs dos quadrinhos, os leigos que não conhecem o personagem e a crítica especializada dos dois tipos de mídia. Achar o equilíbrio entre tudo isso é muito difícil. E, normalmente, a produção/direção resolve estragar toda a premissa do personagem para fazer um filme “Sessão da Tarde”.  O resultado? Filmes como o primeiro Thor, onde o ator principal mais parece um peão do Texas do que um deus nórdico. Ou então o Lanterna Verde, com o pavoroso Ryan Reynolds em mais uma atuação ruim.

Confesso que de todos os filmes de heróis de quadrinhos, salvo tão poucos que posso contar nos dedos de uma só mão. Sim, sou chato, mas tenho meus motivos.

Recentemente fui com minha senhora assistir a mais um lançamento da Marvel. Guardiões da Galáxia prometia ser tudo que os outros filmes da gigante dos quadrinhos não foi. E não é que dessa vez a promessa (finalmente) foi cumprida? O filme trata de heróis pouco conhecidos do grande público, o que de certa forma deu liberdade para o diretor trabalhar bem próximo à mídia original. Aliás, belíssimo trabalho de James Gunn.

Temos tudo na medida certa. Humor, heroísmo, ação e efeitos especiais se completam, sem em momento algum soar exagerado. Os personagens são muito carismáticos. Duvido alguém ter saído do cinema sem ficar encantado por Groot, a árvore falante de força descomunal e coração igualmente enorme. As atuações são todas corretas, mas sem nenhum grande destaque, diferente da trilha sonora. Com músicas dos anos 1960 e 1970, casa surpreendentemente bem com o visual futurista do filme. Mais um ponto para James Gunn.

Finalmente acertaram a mão. Guardiões da Galáxia é um excelente filme, o melhor da Marvel em minha opinião. Se você, assim como eu, é um chato que vê defeito na maioria dos filmes que o povo endeusa, vá sem medo. Será uma experiência bem agradável.

Obs: Vi o filme em 3D e funciona muito bem. Acrescenta bastante e não cansa os olhos. Vale à pena.

*Foto Capa: Reprodução Internet

 

 

 

 

About De olho na 7ª arte

Jonathan Miranda é carioca, mas não gosta de praia e ama frio. Criador e gestor do portal PlayStorm, jornalista por formação, amante da 7ª arte e apavorado por estar chegando aos 30 anos.

Check Also

Surrealismo de Luis Buñuel é tema de mostra na Caixa Cultural 

A mostra Luis Buñuel – Vida e obra mostra todas as potencialidades da obra do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.