Ghost in the Shell e o medo de mais uma adaptação ruim

EUA e Japão são países completamente distintos, como todos nós sabemos. E isso é ainda mais gritante em sua cultura.

Os animes e mangás são os ícones da cultura pop no país oriental, apreciados por crianças, jovens, adultos e até idosos. Sempre com histórias fantásticas, que saem bastante da realidade e dia e dia do povo local, misturando mitologia e lendas, tem como princípio tirar o leitor da mesmice, da rotina natural. Ao contrário da cultura pop americana, com seus sitcoms e filmes sempre traçando paralelo com o real, algo mais palpável e facilmente “comprável” pela audiência.

Por conta dessas diferenças citadas, quando qualquer anime é adaptado para os padrões norte americanos eles tendem a ser descaracterizados ao extremo. O americano precisa de uma explicação lógica para os acontecimentos. Por exemplo: na adaptação de Dragon Ball para o cinema, temos um alienígena de um planeta fictício que vem para Terra domina-la, mas acaba ficando sem memória e é criado por um senhor mestre de artes marciais como um terráqueo. Viagens de planeta, poderes sobrenaturais, tecnologia completamente a frente do nosso tempo…tudo isso consta no anime. E no filme foi tudo mudado para uma história de um garoto que tem um dom especial, americano (??) e completamente diferente de tudo que vemos no desenho.

Diante desse cenário, tenho muito medo da adaptação vindoura de Ghost in the Shell para o mercado hollywoodiano. Mesmo contando com a consultoria de produtores do anime, tenho um pé atrás enorme. Uma obra extremamente madura e emocional, que mexe com o muitos sentimentos de quem assiste, não pode ser descaracterizada totalmente. Torço para que essa seja a primeira de muitas adaptações a darem certo. Que santa Scarlett Johansson (protagonista do filme e ótima atriz) nos proteja.

*Foto Capa: Reprodução Internet

About De olho na 7ª arte

Jonathan Miranda é carioca, mas não gosta de praia e ama frio. Criador e gestor do portal PlayStorm, jornalista por formação, amante da 7ª arte e apavorado por estar chegando aos 30 anos.

Check Also

Surrealismo de Luis Buñuel é tema de mostra na Caixa Cultural 

A mostra Luis Buñuel – Vida e obra mostra todas as potencialidades da obra do …

One comment

  1. Cara, concordo com você. Até que me provem o contrário eu tenho boas expectativas.
    A Scarlett na minha opinião é uma boa escolha.
    Tomara que façam algo da qualidade de Pacific Rim (tá eu sei que não se compara, não foi uma adaptação, mas impossível um fã de anime não notar tantas referências escancaradas com Evangelion por exemplo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.