Espaços Culturais do Rio: Lonas Culturais

Lona Cultural de Campo Grande
Lona Cultural Elza Osborne (Foto: Arquivo Lona Cultural CG)

Tudo começou com um jovem casal artista da região da Zona Oeste: Ives Macena e Regina Pierini. O primeiro, músico e produtor cultural.  A segunda, dramaturga, atriz, poeta e artista plástica. Ao perceberem que a Zona Oeste era a região de maior densidade populacional da cidade, sabedores da existência de diversos grupos de teatro locais e preocupados com a ociosidade dos jovens, Ives e Regina (então gestores da ONG UGAT-ZO ) criaram um projeto piloto que solicitava a reutilização  de uma das tendas que foram usadas na ECO-92. Abandonadas no parque do Flamengo, tais lonas serviriam de cobertura para o Teatro de Arena Elza Osborne, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio.

Com o propósito de apresentar atrações por meio das quais pudessem interagir e melhorar a qualidade de vida das comunidades locais, o Teatro de Arena ganhou da prefeitura do Rio a primeira Lona em 1993. A partir de então, a LONA CULTURAL ELZA OSBORNE, no decorrer dos anos seguintes, firmou-se como um empreendimento cultural bem sucedido e foi integrada à Rede Municipal de Teatros, juntamente com os teatros Carlos Gomes, Glória, Café Pequeno, Sérgio Porto entre outros.

Exemplo
Após o sucesso da Lona Cultural Elza Osborne em Campo Grande, outras associações de artistas também seguiram o mesmo caminho e reivindicaram as tendas abandonadas da ECO 92 para abrigarem suas sedes e permitir que outros bairros também desfrutassem de uma Lona para que os artistas pudessem se expressar.

Entre os anos de 1996 e 1999, foram criados mais quatro espaços culturais: a Lona Cultural Hermeto Pascoal (Bangu), Lona Cultural Municipal Gilberto Gil (Realengo), Lona Cultural Carlos Zéfiro (Anchieta) e Lona Cultural Municipal João Bosco (Vista Alegre). Nos anos seguintes, mais cinco regiões foram contempladas: Santa Cruz (Lona Cultural Municipal Sandra de Sá), Maré (Lona Cultural Municipal Herbert Vianna), Jacarepaguá (Lona Cultural Municipal Jacob do Bandolim), Guadalupe (Lona Cultural Municipal Terra) e Ilha do Governador (Areninha Carioca Renato Russo). No total, junto com a de Campo Grande, são 10 Lonas Culturais.

23 anos em Campo Grande
No último mês, a Lona Cultural Elza Osborne comemorou 23 anos de atividade em Campo Grande. Para celebrar, foi realizado um evento com quatro dias de festa. Com programação gratuita, artistas locais apresentaram seus trabalhos nas principais linguagens artísticas: teatro, dança, música e artes visuais.

Arenas Cariocas
Com a grande repercussão das Lonas Culturais, a gestão atual da prefeitura do Rio resolveu ampliar a abrangência do projeto e criou as Arenas Cariocas, com espaços maiores que as lonas. As Arenas Cariocas contam com maior mobilidade de estrutura que possibilitam os artistas cariocas terem uma maior interação com grandes produções, dividindo o palco com nomes consagrados do cenário brasileiro e internacional.

Esperamos que projetos como este, de extrema importância cultural, não sejam abandonados e ofuscados neste momento de Olimpíadas e que a cidade do Rio de Janeiro ganhe ainda mais espaços culturais de qualidade.

Bom fim de semana para todos!

About Artes

Músico, artista visual e produtor, Christian Pierini faz uma reflexão sobre a arte e entretenimento no Brasil e no mundo.

Check Also

Cazuza Pro Dia Nascer Feliz: grátis na Fundição Progresso

Os fãs de Cazuza já podem comemorar! Neste domingo (25), às 17h, o consagrado “Cazuza …

One comment

  1. Tive a honra de acompanhar a constante evolução deste espaço cultural. Ainda me lembro dos ensaios com minha banda ai, quando ainda era apenas uma arena de pedra, final dos anos 80 e comecinho dos 90! Graças a querida e visionária Regina Pierini e o amigo querido de muitos anos de estrada, Ives Pierini (pai), sonhos assim se tornam história!! Que venham mais 23 anos…no mínimo!! Long live!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.