Ídolos da música são temas de debates na Caixa Cultural

De 25 a 27 de maio (quarta a sexta-feira), a partir das 18h30, a Caixa Cultural Rio de Janeiro apresenta o projeto Gosto se Discute?. O cineasta e produtor musical Luiz Fernando Borges e o jornalista Antônio Carlos Miguel disputam uma espécie de “game” onde cada um defenderá um artista. O DJ Sandro Machintal anima a disputa, com intervenções musicais e exibição de vídeos. O evento tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

Cada encontro será dedicado a um gênero musical, sendo duas disputas por noite. O primeiro é dedicado ao jazz (Billie Holiday versus Blossom Dearie e Duke Ellington versus Billy Strayhorn). O segundo evento trata de pop-rock (Janis Joplin e Laura Nyro;  David Bowie e Bob Dylan). O terceiro e último encontro, em 27 de maio, será sobre MPB (Nara Leão e Nana Caymmi; Renato Russo e Cazuza).

Na batalha, Luiz Fernando Borges e Antônio Carlos Miguel usam seu vasto conhecimento musical para defender cada artista, trazendo informações de carreira, biografia, discografia, história de bastidores e curiosidades.

Programação:

25 de maio (quarta-feira) – Jazz
Billie Holiday versus Blossom Dearie
Se Billie foi, a partir dos anos 1930, uma das inventoras do canto-jazz, bebendo tanto de Louis Armstrong quanto do saxofone de Lester Young ou do estilo de Bessie Smith para chegar à sua identidade, Blossom foi uma das poucas cantoras surgidas nos anos 50 a seguir um caminho original com sua voz beirando o infantil-caricato, mas cheia de charme e jazzísticas divisões, em formato cool que antecipa a bossa nova. Por sinal, até o fim da vida, aos 85, em 2009, Blossom incorporou temas da bossa em seu repertório. O que nos leva à pergunta: como Billie teria reagido à nova onda brasileira, que começou a bater na praia jazzística a partir de 1962, três anos depois, portanto, de sua precoce morte, em 1959, aos 44 anos?

Duke Ellington versus Billy Strayhorn
Um dos maiores nomes do jazz, o pianista, compositor e arranjador Duke Ellington entrou em cena no fim dos anos 1920 e foi fundamental na evolução do gênero, passando pelo jungle sound e pelo swing. A partir de 1939, contou nos bastidores de sua orquestra com o também pianista, compositor e arranjador Billy Strayhorn, autor de, entre outros clássicos, Take the A-train, tema que virou prefixo da orquestra de Ellington. Como explicar a relação artística e profissional entre esses dois gênios tão diferentes? Duke, um dândi, dominador; Billy, tímido e gay em tempos difíceis para se assumir a homossexualidade.

26 de maio (quinta-feira) – Pop-rock
Janis Joplin versus Laura Nyro
Janis, a cantora mais representativa do rock dos anos 1960, e que pautou todas gerações seguintes, enfrenta Laura Nyro, cantora e compositora também dos anos 60. Janis foi a maior cantora branca do blues, enquanto Laura se impôs como autora de muitos sucessos da música soul, e conseguiu a tarefa de encantar tanto Bob Dylan quanto Stephen Sondheim e Miles Davis.

David Bowie versus Bob Dylan
Dois cantores e compositores influentes, fundamentais para os caminhos do pop e do rock a partir dos anos 1960. De alguma forma, ambos foram camaleônicos. Dylan, trocando de estilo aos poucos – do folk de protesto ao pop psicodélico, passando pelo country, o flerte com o gospel, até chegar ao caldeirão pop-folk-rock das duas últimas décadas. Bowie, que morreu em janeiro passado após lançar o disco Blackstar, no qual era acompanhado por um grupo de jazz, viveu muitos personagens e influenciou dezenas de artistas com seu estilo conceitual e dramático.

27 de maio (sexta-feira) – MPB
Nara Leão versus Nana Caymmi
Mesmo sem o alcance vocal e a técnica de contemporâneas como Elis e Gal, Nara teve papéis fundamentais para a evolução da MPB. Foi musa da bossa nova, depois mergulhou fundo no samba e na política, junto a Zé Kéti e João do Valle no show Opinião. Participou do histórico álbum coletivo da Tropicália e prosseguiu como uma atenta intérprete de novos compositores. Nana, filha do mestre Dorival Caymmi, foi sempre uma cantora dos músicos. Fez, principalmente nos anos 1970, alguns dos melhores discos da MPB.

Renato Russo versus Cazuza
Os dois maiores poetas do rock brasileiro dos anos 1980, Russo e Cazuza têm muito em comum e também algumas diferenças. O líder da Legião Urbana foi uma enciclopédia musical ambulante e saiu do então deserto cultural, que era a Brasília sob a ditadura, para se transformar no maior ídolo do rock em seu tempo. Enquanto o cantor que começou no Barão Vermelho e depois prosseguiu em carreira solo nasceu em berço de ouro da MPB e sempre conviveu com a música.

SERVIÇO:

Gosto se discute?
CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: 25 a 27 de maio (quarta a sexta-feira)
Horário: 18h30
Ingressos:  Entrada franca. Distribuição de senhas 30 minutos antes
Lotação: 80 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Classificação Indicativa: 14 anos
Acesso para pessoas com deficiência

*Foto Capa: Reprodução Internet

About Portal O Rio

O Portal O Rio é um portal de notícias online e independente. Criado em julho de 2014, o site tem como objetivo informar sobre o que acontece no Rio de Janeiro.

Check Also

Cazuza Pro Dia Nascer Feliz: grátis na Fundição Progresso

Os fãs de Cazuza já podem comemorar! Neste domingo (25), às 17h, o consagrado “Cazuza …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.