Falta criatividade ou é mero oportunismo?

Ultimamente, a indústria cinematográfica tem sido marcada por remakes, continuações e reboots de franquias antigas de filmes. Para minha surpresa (só que não) li à pouco a notícia sobre a filmagem de “Top Gun 2”, isso mesmo, aquele filme que lançou Tom Cruise ao estrelato, onde o mesmo era um piloto de caça iniciante. O filme original nunca foi lá grande coisa, extremamente datado e hoje em dia chega a irritar quem assiste.

Esse ano já tivemos Jurassic World que, pelo que me disseram (ainda não assisti), é um filme bem “sessão da tarde”, ou seja, água com açúcar. Confesso que acho todos (salvo o primeiro) os filmes sobre o parque jurássico bem fracos. Não vi sentido nenhum para esse lançamento a não ser o famoso “estamos precisando de dinheiro então vamos ressuscitar uma franquia morta”. Outra franquia que ressurgiu das cinzas foi Mad Max, mas essa veio realmente para acrescentar algo. O filme é primoroso e muito melhor do que o original. George Miller, diretor de ambos os filmes e mentor de todo o universo “Mad Max”, soube muito bem trazer o filme para os tempos atuais. Não se preocupou em fazer um reboot ou um remake, tratou o filme como um “revisit”, ou seja, uma nova forma de olhar para o mesmo universo e história, com um novo ponto de vista.

Fico me perguntando até que ponto isso é saudável para a indústria. O ponto é só arrecadar dinheiro ou realmente evoluir cinematograficamente? Falta criatividade? Juro que não tenho a resposta, mas gostaria de entender.

About De olho na 7ª arte

Jonathan Miranda é carioca, mas não gosta de praia e ama frio. Criador e gestor do portal PlayStorm, jornalista por formação, amante da 7ª arte e apavorado por estar chegando aos 30 anos.

Check Also

Surrealismo de Luis Buñuel é tema de mostra na Caixa Cultural 

A mostra Luis Buñuel – Vida e obra mostra todas as potencialidades da obra do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.