Dia Nacional de Combate ao Fumo: número de fumantes diminui, mas fica maior entre as mulheres executivas

mulher-fumando-cigarro
Segundo a OMS, o tabaco mata cerca de 10 mil pessoas por dia e é a principal causa de morte no mundo (Foto: Reprodução Internet)

Levantamento feito pela rede de exames complementares Centro de Medicina Nuclear da Guanabara, em função do Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado dia 29 de agosto, mostra que o número de fumantes entre colaboradores de grandes empresas, submetidos a check-up em 2014 apresenta índices baixos, mas ficou maior entre as mulheres. Entre os mais de 1600 pacientes que se submeteram aos exames, 8,1% eram usuários de cigarros. No entanto, o Levantamento Vigitel de 2015 (vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico), divulgado pelo Ministério da Saúde, mostrou que no Brasil índice é maior entre os homens, 12,8% contra 9% das mulheres, mas  caiu para 30,7% o número de fumantes nos últimos nove anos. Entretanto, no total, 10,8% da população no país ainda consome o produto.

Eduardo Duarte, médico responsável pela unidade de check-up do centro de medicina nuclear da Guanabara, diz que a diminuição do número de fumantes se deve não só à campanha mundial feita contra o tabagismo, mas também às restrições cada vez maiores impostas aos fumantes em ambientes públicos. Medidas dessa natureza, segundo o médico, são benéficas para a população em geral e para o tabagista em particular, que se sente cada vez mais segregado e estimulado a parar com o hábito.

Júlio Rodrigues, pneumologista do CMNG, alerta que cada vez mais cedo se tem acesso regular ao tabaco e, portanto, aos males e complicações advindas do uso dessa substância. “O tabagismo é hoje a principal causa de morte evitável, segundo a organização mundial da saúde (OMS). E mesmo com todas as ações contra o fumo, cerca de um terço da população mundial adulta é fumante, ou seja, 1,2 bilhão de pessoas”.

Uma medida que médicos recomendam com cada vez mais frequência para pacientes que não conseguem parar de fumar é a realização periódica de exames simples, como raio-x de tórax, ecocardiograma, ultra-sonografia, mamografia ou até densitometria óssea, formas eficazes de chamar a atenção para comorbidades relacionadas ao tabaco. Caso o paciente seja vítima de algum tipo de lesão cancerosa, o diagnóstico precoce facilita e aumenta a chance de cura. Um pequeno tumor, por exemplo, quando aparece em um raio-x de tórax, pode ter uma história prévia de mais de 10 anos.

“Uma vez encontrado alguma imagem sugestiva ou patologia que requeira maiores cuidados no seu diagnóstico e estadiamento, passamos para exames mais específicos, como ressonância magnética, PET-SCAN ou tomografia, que pelo custo-benefício não estão justificados em um primeiro momento”, explica Eduardo Duarte.

O pneumologista Júlio Rodrigues ressalta que, além do consumo em si, o convívio com a fumaça também provoca efeitos mais imediatos, como irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaleia, aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias. E afirma que a utilização precoce do cigarro pode aumentar as chances de dependência e da contração de doenças como enfisema, bronquite, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), problemas respiratórios, diversos tipos de câncer e outras infecções respiratórias.

“Segundo a OMS, o tabaco mata cerca de 10 mil pessoas por dia e é a principal causa de morte no mundo. Uma pesquisa feita pela OMS revela que o principal fator de risco de doenças coronárias, como o infarto do miocárdio, é pelo uso de cigarro. Estima-se que cerca de 71% das mortes por câncer de pulmão, 42% das mortes por doenças respiratórias crônicas e 10% das mortes por doenças cardiovasculares são atribuíveis ao  tabagismo”, evidencia Rodrigues.

De acordo com o médico Eduardo Duarte, um programa de check-up pode ser oferecido aos colaboradores como forma de prevenção, o que poderá ajudar a melhorar a qualidade de vida e a produtividade laboral. “Ao realizar uma bateria de exames com intuito preventivo, muitas vezes, consegue-se dar o pontapé inicial para uma mudança radical no estilo de vida”, conclui Duarte.

About Portal O Rio

O Portal O Rio é um portal de notícias online e independente. Criado em julho de 2014, o site tem como objetivo informar sobre o que acontece no Rio de Janeiro.

Check Also

Você sabe, afinal, o que é enxaqueca?

A enxaqueca é uma doença genética e crônica e uma das causas mais frequentes de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.