40 anos do monstro mais famoso do cinema

Hoje em dia filmes de animais como vilões são relativamente comuns. Em 1975, nem tanto. E nesse ano foi lançado o filme que, junto com Star Wars, inaugurou a categoria “blockbusters”vulgo “arrasa quarteirões”. Estamos falando do clássico Tubarão, dirigido por um então novato Steven Spielberg.

Eu particularmente não gosto muito de filmes desse gênero, mas por incrível que pareça Tubarão é um dos meus filmes preferidos de todos os tempos. Fantástico do começo ao fim, da trilha sonora de John Williams (o mesmo de Superman, o clássico) até as sacadas de Spielberg. Uma frase dita pelo mesmo à época, em off, foi “Não importa qual o desfecho que eu dê para o filme, o público estará nas minhas mãos antes disso”. E não é que o cara tinha razão?

O filme foi ousado em vários sentidos. Estourou orçamento, atrasou por milhões de motivos e quase não saiu do papel. Muitas cenas foram alteradas por conta de problemas com o tubarão mecânico mas no fim foi um grandioso sucesso de crítica e público, arrecadando quase 500 milhões de dólares, sendo a maior bilheteria da história na época.

Sei que muita gente tem preconceito com o filme, que obviamente hoje em dia tem visual datado. Mas o cuidado, a produção e a quase estreia de um dos diretores mais consagrados de todos os tempos vale a conferida. Clássicos são eternos e Tubarão certamente é um dos filmes mais icônicos da história da 7ª arte.

*Foto Capa: Reprodução Internet

About De olho na 7ª arte

Jonathan Miranda é carioca, mas não gosta de praia e ama frio. Criador e gestor do portal PlayStorm, jornalista por formação, amante da 7ª arte e apavorado por estar chegando aos 30 anos.

Check Also

As novas cores do Rio

Cidade maravilhosa, capital dos esportes, cidade olímpica… Já são tantos codinomes! Mas sempre cabe mais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.