Veículo da folia

No calendário, o carnaval só se inicia no próximo sábado, mas todo carioca sabe que aqui a folia começa cedo e acaba tarde. Segundo expectativas da prefeitura, cerca de cinco milhões de pessoas, entre turistas e moradores, devem brincar o carnaval na cidade. Para quem tem carro, há duas opções. Ou faz uma boa revisão nele e pé na estrada, se preparando para os engarrafamentos, ou o deixa paradinho na garagem. Sair de carro no meio de milhões de pessoas distribuídas por 456 blocos definitivamente não é uma boa opção. Faz o seguinte. Vai de bike!

É isso mesmo, hoje não falaremos sobre carros. Aliás, não falaremos só sobre carros. O Rio de Janeiro pode não ser lá a cidade mais sustentável do mundo, com seu trânsito que está cada vez pior e suas linhas de ônibus mal distribuídas (Muito na Zona Sul e pouco na Zona Oeste), mas uma coisa é fato – a cidade maravilhosa tem uma malha cicloviária de respeito, a maior da América Latina e, segundo o ranking “The Copenhagenize” de 2013, a 12ª maior do mundo. Segundo a prefeitura do Rio, a cidade está perto de alcançar a marca de 450 quilômetros de ciclovias. Muita gente não tem esta informação e aí está o problema. Enquanto grandes cidades do mundo investem na conscientização das pessoas, incentivando o uso de bicicletas, por aqui o negócio é só construir a ciclovia, e pronto. Tá feito!

A transformação da Avenida Rio Branco, que no futuro não terá circulação de carros e ônibus, sendo restrita ao Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e pedestres, faz parte (de propósito ou não) de uma tendência mundial de tirar carros e ônibus dos centros das grandes cidades. É preciso, no entanto, que haja investimento em conscientização, para que o uso da bicicleta se torne algo mais comum, e não só coisa de final de semana.

O Rio de Janeiro tem a maior malha cicloviária da América Latina (Foto: Raphael Lima/PMRJ)
O Rio de Janeiro tem a maior malha cicloviária da América Latina (Foto: Raphael Lima/PMRJ)

Com a bicicleta deixando de ser um “veículo de passeio” e passando a ser um “veículo de transporte” entra em jogo algo bem mais sério, que o povo carioca insiste em tentar deixar de lado – a educação. Na onda do “Respeite – um carro a menos”, ciclistas saem pelo trânsito da cidade sem ter muita ideia do que estão fazendo e acontecer um acidente é quase regra. Se cada um de nós, ciclistas ou não, fizermos a nossa parte pensando no próximo, o Rio, com seus quase 450 quilômetros de ciclovias pode se tornar uma cidade sustentável de verdade. Então, vamos começar neste carnaval. Ficou na cidade, vai curtir o carnaval? Deixa o carro em casa, mas não esqueça de dar uma ligadinha nele. Se resolver sair com ele, não beba, e, se beber, vai a pé que é melhor. Nada de bike.

MERCADO

Como não entendo muito de mercado de bicicletas, vamos ao ranking da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). A primeira semana de fevereiro fechou no sábado com o Fiat Palio na liderança, com 2.177 unidades vendidas, seguido pelo Chevrolet Onix, com 1.773, e pelo Volswagen Fox, com 1.589. Completavam o TOP5, o Fiat Uno, com 1.385 e o Volkswagen UP, com 1.360 unidades vendidas.

About Sobre carros

Formado em jornalismo em 2005, Vinicius Palermo trabalha desde 2012 como editor em um jornal carioca. Apaixonado pelos automóveis e pelo Flamengo, ama a família e os animais, por quem luta por dias melhores no futuro. Acredita na máxima de plantar o bem para colher o bem.

Check Also

Viva os cachos: 1º Encontro Cacheia + Casa Nostra Cosméticos no Rio

Cacheadas, fiquem atentas! No dia 9 de julho, de 10h as 18h, acontece o 1º …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.