Por um mundo empresarial mais adaptado

Investir em medidas inclusivas é uma tendência no Brasil. São cerca de 650 milhões de pessoas no mundo apresentando características de um portador de deficiência, número que representa 10% da população mundial, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, 16 milhões de pessoas possuem alguma deficiência, sendo que 30% apresentam limitação moderada.

Mesmo com estes números, poucas empresas estão aptas a receber clientes portadores de qualquer tipo de deficiência. Os erros mais frequentes detectados pelos “clientes secretos” da Shopper Experience (empresa especializada em avaliação do atendimento ao consumidor, sediada em São Paulo) são as barreiras físicas. Por exemplo, nota-se a ausência de uma rampa para o acesso dos cadeirantes para o interior de um estabelecimento. Em alguns casos as passagens são muito estreitas. Em outros, os balcões de atendimento são incompatíveis com a altura do cliente cadeirante. Sem falar da falta de preparo de funcionários pouco habituados a atender portadores de necessidades especiais.

Profissionais do varejo, do órgão público e outros setores não recebem treinamento adequado para lidar com essas situações. É o que os “clientes secretos” da Shopper Experience mais uma vez detectaram. No comércio, vendedores destratam, de forma indireta, seus clientes portadores de deficiência, como quando atendem o cliente na cadeira de rodas e logo o abandonam para receber outro cliente. Ainda com o cadeirante, o comerciante pergunta se gostaria de experimentar alguma roupa no provador, sendo que o local não possui instalações propícias para o este cliente.

EMPRESAS ADAPTADAS

O Walter’s Coiffeur inaugurou no Shopping Metropolitano, na Barra da Tijuca, uma unidade adaptada para cadeirantes. Segundo a direção da empresa, havia o desejo de criar uma unidade com formato inclusivo. Por isso investiram em equipamentos adaptados, como o lavatório de cabelo, espelhos mais baixos, corredor amplo e o principal, treinamento para os funcionários.

Outro exemplo de estabelecimento preparado para cadeirantes é o Restaurante Tizziano, também na Barra da Tijuca, que conta com amplos corredores em todos os ambientes, rampa de acesso e mesas com altura pensada para cadeirantes.

Segundo Shopper Experience, um dos maiores problemas em restaurantes, são funcionários despreparados que, ao receber o cliente acompanhado de um cão guia, brincam com o animal, distraindo-o da função de guiar. Outro problema apontado é o fato de funcionário dirigir-se somente ao acompanhante do portador de deficiência visual, como se a diminuição, ou falta de resposta visual o impedisse de escolher um prato.

 

About Portal O Rio

O Portal O Rio é um portal de notícias online e independente. Criado em julho de 2014, o site tem como objetivo informar sobre o que acontece no Rio de Janeiro.

Check Also

Cazuza Pro Dia Nascer Feliz: grátis na Fundição Progresso

Os fãs de Cazuza já podem comemorar! Neste domingo (25), às 17h, o consagrado “Cazuza …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.