Janeiro se foi

No ritmo das tensões com a falta de chuva (e de água) e de incertezas sobre o rumo que a Petrobras vai tomar, o mês de janeiro foi embora, para abrir espaço para um mês encurtado pelo carnaval e pelos dois dias a menos no calendário.

MERCADO

O ranking da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores apontava, no último dia do mês (ontem, sábado), para a já consolidada liderança do Fiat Palio e mudanças no TOP5. Vamos então apontar aqui os dez carros mais vendidos no mês que passou.

Fiat Palio está isolado como o carro mais vendido do país (Foto: Fiat/divulgação)
Fiat Palio está isolado como o carro mais vendido do país (Foto: Fiat/divulgação)

Nas três primeiras colocações ficaram o Fiat Palio, com 14.396 unidades vendidas, seguido por GMOnix, com 13.425 e Hyundai HB20, com 8.927. Daí para frente a briga é mais intensa e alguma mudança pode estar acontecendo enquanto escrevo este texto. Nas vendas registradas até sexta-feira (30), o Fiat Uno estava em quarto lugar, com 8.569 unidades comercializadas, seguido por VW Fox, com 8.206 e Ford Ka, com 8.203.

O VW Gol, líder de vendas por quase trinta anos, ocupava somente a sétima colocação, com 7.857 unidades comercializadas, seguido por dois sedãs – GM Prisma, com 7.742 e Fiat Siena, com 7.163. O Volkswagen UP fechava o TOP 10, com 6.754 unidades vendidas.

Entre os comerciais leves, a Fiat Strada continua líder como nunca, sem enxergar ninguém pelo retrovisor, com 11.192 unidades vendidas. Em segundo lugar chega a VW Saveiro, com 5.729 e em seguida a Ford Ecosport, com 3.660.

DEMITE DAQUI, CONTRATA DE LÁ

O mês passado foi marcado pela greve dos funcionários da fábrica da Volkswagen de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Após a montadora anunciar o desligamento de 800 operários no início do mês, os trabalhadores entraram em greve reivindicando a readmissão de seus companheiros. A greve fez barulho e, após negociações, a demissão foi cancelada.

Os planos de desligamento não são, no entanto, particularidade da Volkswagen. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, novas demissões podem vir por aí, motivadas pelo resultado fraco da parcial de vendas de janeiro. Ainda de acordo com o jornal, a Renault abriu plano de demissão voluntária no último dia 22 e pretende desligar entre 900 e mil funcionários.

A fábrica de caminhões MAN, em Resende, no sul do estado do Rio, deu férias coletivas e também pode entrar no ritmo das demissões. Já a General Motors pode demitir em torno de 1.500 funcionários das plantas de São Caetano do Sul e São José dos Campos, em São Paulo.

Na contra mão, está a Toyota, com sua fábrica de Sorocaba. A fabricante japonesa anunciou investimento de R$ 100 milhões na planta industrial, para que sua capacidade instalada passe de 74 mil para 108 mil unidades por ano a partir de 2016. A japonesa anunciou, ainda, que haverá contratações para aumentar a produção do Toyota Etios e Etios sedã, únicos modelos produzidos na planta de Sorocaba.

TÁ CHEGANDO A HORA…

Enquanto o Honda HR-V é flagrado sem camuflagens em São Paulo, a Honda já começou a trabalhar na estratégia de marketing para atrair compradores para o veículo que deve começar a ser vendido em março – importado da Argentina até a fábrica de Itirapina (SP) ficar pronta para produzi-lo. A fabricante japonesa criou um hotsite para apresentar um teaser do modelo e, é lógico, começar a cadastrar possíveis interessados a pagar os cerca de R$ 75 mil que o carro deve custar.

About Sobre carros

Formado em jornalismo em 2005, Vinicius Palermo trabalha desde 2012 como editor em um jornal carioca. Apaixonado pelos automóveis e pelo Flamengo, ama a família e os animais, por quem luta por dias melhores no futuro. Acredita na máxima de plantar o bem para colher o bem.

Check Also

Despedida da SAAB

Conhecida pela espetacular Volvo e a fora de série Koenigsegg, a lista de fabricantes de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.