De olho no acordo

A agência de notícias Reuters declarou na semana passada que o governo brasileiro tentará renovar o acordo automotivo com o México. Em vigor desde março de 2012, o acordo que se encerra em março prevê cota de importação de US$ 1,64 bilhão. Ainda de acordo com a agência de notícias, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, Armando Monteiro, declarou que as cota não deve ser ampliada.

O Chevrolet Tracker está entre os modelos importados do México (Foto: © GM Corp)
O Chevrolet Tracker está entre os modelos importados do México (Foto: © GM Corp)

Entre os veículos importados do México estão modelos como Ford Fusion, Chevrolet Tracker e Nissan Sentra. Já a Fiat Strada é exportada para o país latino, com o nome de Dodge RAM 750.

Em tempo: Em junho deste ano vence outro importante acordo automotivo envolvendo o governo brasileiro. O chanceler brasileiro Mauro Vieira esteve na Argentina durante a úlima semana para discutir os termos de um compromisso que substitua o atual. Com os problemas que as duas economias enfentam e a incerteza sobre a sucessão da atual presidente argentina – que será disputada em outubro – é provável que as negociações sobre o acordo se arrastem.

Entrando no forno

A Citroën retirou de seu website os modelos C4 Picasso e Grand C4 Picasso, em um movimento que pode significar que os modelos novos das versões serão vendidos em breve por aqui. Com motor 1.6 THP com 165 cavalos e câmbio automático de seis velocidades, os modelos, inicialmente importados, não devem custar menos de R$ 100 mil.

Saindo do forno

A honda apresentou no último dia 7 a versão 2016 (é isso mesmo) do Civic, modelo mais vendido da marca japonesa no Brasil. Com o mesmo motor da linha 2015, a novidade fica por conta da volta da versão topo de linha EXR. Os preços do sedã vão de R$ 70.900, pela versão LXS manual (MT), até R$ 88.400, pela versão EXR automática (AT).

Boa iniciativa

Empregados de quatro fábricas da Volkswagen do Brasil doaram mais de R$ 387 mil a instituições beneficientes. A ação faz parte do Programa “Uma hora para o Futuro”, do Comitê Mundial dos Trabalhadores da Volkswagen, com apoio da Volkswagen do Brasil. Vale lembrar que a situação dos empregados da indústria automobilística brasileira não anda muito boa.

A quem interessar possa

Entre os bens apreendidos na casa do empresário Eike Batista no Rio de Janeiro estavam alguns carros, sendo que um em especial chamou muita atenção. O modelo em questão, raro no país, é um Lamborghini Aventador LP700-4 2012, com motor 6.5l de 700 cavalos, avaliado em mais de R$ 3 milhões de reais.

O curioso é que no ano passado surgiram notícias que davam conta que o empresário estava colocando a venda a Lamborghini Aventador que ficava exposta em sua sala.

Ou o ex-bilionário se dava ao luxo de ter duas Lamborghinis do mesmo modelo, cor e ano ou tem coisa estranha nesta história.

MERCADO

Até sexta-feira, quando esta coluna foi escrita, o ranking mensal da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) era liderado pelo Fiat Palio, com 4.988 unidades comercializadas, seguido pelo Chevrolet Onix, com 3.711 e pelo Volkswagen Fox, com 3.583. Completavam o TOP5, o O Hyundai HB20, com 3.263 unidades vendidas e Fiat Uno, com 3.061.

Tirando como base os números finais dos dois carros mais vendidos em janeiro (14.431 e 13.462), esta parcial revela que o mês de fevereiro pode ser ainda pior do que janeiro. Será que vem recorde negativo por aí?

About Sobre carros

Formado em jornalismo em 2005, Vinicius Palermo trabalha desde 2012 como editor em um jornal carioca. Apaixonado pelos automóveis e pelo Flamengo, ama a família e os animais, por quem luta por dias melhores no futuro. Acredita na máxima de plantar o bem para colher o bem.

Check Also

Despedida da SAAB

Conhecida pela espetacular Volvo e a fora de série Koenigsegg, a lista de fabricantes de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.