Negócio da China

Como falamos na nossa coluna passada, o Salão do Automóvel de São Paulo deste ano poderia ser batizado de “feira dos SUVs”, já que são estes os grandes destaques do evento. E não foram só as marcas mais poderosas que anunciaram lançamentos pertencentes a este segmento. A JAC, uma das chinesas mais famosas do país, apresenta durante o salão o T6, apostando, como sempre, no preço baixo. Mas, e aí, vale a pena comprar um chinês?

Responder esta pergunta é bem difícil, pois o que vale a pena para mim, pode não valer a pena para você, mas pode ser bem atrativo para o seu vizinho. Então, vamos tentar elucidar um pouco as questões.

Das várias marcas chinesas que atuam em nosso mercado, podemos dizer que as mais fortes são a Chery, que inaugurou sua fábrica em Jacareí, em São Paulo, em agosto, a JAC, que pretende concluir as obras de sua planta fabril em Camaçari, na Bahia, em 2016, e, por fim, a Lifan, que vende por aqui carros importados do Uruguai. A marca já começa a pensar, no entanto, em também inaugurar uma planta no Brasil.

É da China o título de carro mais barato do Brasil, com o , que custa, segundo o site da marca, R$ 23.990. Mas o preço baixo parece não chamar muita atenção, já que o pequeno hatch, melhor colocado entre os chineses no ranking Fenabrave de automóveis, vendeu neste ano somente 2.719 unidades. Oferecendo o SUV T6 por R$69.990, a JAC vai pelo mesmo caminho de apostar no preço baixo. Mas será que não é pouco para brigar em um mercado tão competitivo?

Os carros chineses costumam ficar para trás em acabamento e, em alguns modelos, em potência e conforto, apesar de entregarem uma boa quantidade de equipamentos de série. As marcas também perdem competitividade quando o assunto é o número de concessionárias, o que pode complicar na hora de precisar de peças ou para uma simples revisão. A garantia, no entanto, é ponto forte, já que geralmente estão entre as mais longas.

O que podemos considerar um fato é que os chineses olham para o Brasil como quem passa em frente a uma concessionária e pensa: “um dia esse carro será meu”. Com a consolidação de suas fábricas no país, certamente os chineses mostrarão ao brasileiro que vale a pena acreditar que seu produto é bom e tem preço justo (ou quase justo).

MERCADO

Batendo recorde mensal, o Fiat Palio está prestes a cumprir sua missão de se tornar o carro mais vendido de 2014. O chefe da Fiat registrou 16.316 unidades até o último dia de outubro (sexta-feira). Em segundo lugar, temos o Chevrolet Onix, com 13.282 unidades, seguido do VW Gol, com 12.240. O Hyundai HB20 completa o TOP5 com 10.400 carros vendidos.

Com 9.367 unidades comercializadas o Ford Ka mostrou que não está para brincadeira e promete colocar a Ford no topo do ranking. Na Honda, inversão de números.Enquanto o Civic marcou seu pior mês, com 3.953 unidades vendidas, o City, com 2.466, fez a segunda melhor marca do ano.

*Foto Capa: Reprodução Internet

About Sobre carros

Formado em jornalismo em 2005, Vinicius Palermo trabalha desde 2012 como editor em um jornal carioca. Apaixonado pelos automóveis e pelo Flamengo, ama a família e os animais, por quem luta por dias melhores no futuro. Acredita na máxima de plantar o bem para colher o bem.

Check Also

Saindo do forno

Novidade alemã no Brasil A Mercedes-Benz anunciou nesta quinta-feira (30), o início das vendas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.