Novidade na cota

Em 2014, a Volkswagen realizou o sonho de muitos de seus admiradores – particularmente os com o bolso um pouco mais recheado – e trouxe para o país a geração sete do Golf, modelo sucesso de vendas na Europa. O Brasil enfim voltou a ter em seu mercado a mesma versão que circula nas autobahns alemãs. Com promessa de ser fabricado por aqui em 2015, o modelo hoje vem da Alemanha, mas o país de origem da importação deve mudar ainda este ano e é sobre isso que vamos falar na nossa coluna.

O Golf deve passar ser importado do México, entrando na cota de importações prevista no acordo firmado entre o Brasil e o país da América do Norte em 2012. Mas afinal, como funciona esta cota? Quais carros são importados por esse esquema? Qual a influência no preço final do veículo?

O acordo entre os dois países foi firmado no primeiro semestre de 2012 e tem previsão para durar até 2015. Segundo o acordo, há um valor máximo para as importações previsto para cada ano. Estamos na última fase do acordo, então de 19 de março deste ano até 18 de março de 2015, pode ser importado do México US$ 1,64 bilhão em automóveis.

Assim, o Golf se juntará a uma lista que tem Jetta e Fusca, modelos da marca alemã que são fabricados no México, e carros de outras montadoras que também são produzidos por lá, como Captiva, Tracker e Sonic, da GM; Freemont e Journey, da Fiat/Dodge; New Fiesta Sedan e Focus, da Ford; CR-V, da Honda; e Sentra e Versa, da Nissan. Vale ressaltar que o último modelo citado terá uma nova versão fabricada por aqui, na fábrica de Resende (RJ), em breve. A apresentação está prevista para o salão internacional do automóvel, que será realizado em São Paulo, em outubro.

Teoricamente, com o veículo não sendo taxado pela alíquota de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis importados, que vai de 37% a 55%, a tendência é que o preço para o consumidor final fique mais barato. Mas, todos nós sabemos que na prática muitas vezes é bem diferente. No caso do Golf, é ver para crer.

MERCADO

Terminamos a terceira semana de agosto com alteração no pódio dos autos mais vendidos, segundo o ranking da Fenabrave.  Até o fechamento desta coluna (22/08), VW Gol continuava firme na liderança, com 10.584 unidades vendidas, seguido do Fiat Palio, com 9.952 veículos comercializados. O destaque é a recuperação do Fiat Uno, que volta ao 3º lugar, com 7.422 unidades vendidas, superando GM Onix (7.405). Hyundai HB20 (6.374) fecha o TOP5.

Vale a pena ficar de olho em como o mercado vai reagir à versão reestilizada do Volkswagen Fox, que foi apresentada esta semana, com mudança significativa na traseira. (O colunista aqui não curtiu). Outro carro que merece olhar atento é o recém-lançado Ford Ka. Por enquanto obviamente ele não aparece entre os vinte mais vendidos.

About Sobre carros

Formado em jornalismo em 2005, Vinicius Palermo trabalha desde 2012 como editor em um jornal carioca. Apaixonado pelos automóveis e pelo Flamengo, ama a família e os animais, por quem luta por dias melhores no futuro. Acredita na máxima de plantar o bem para colher o bem.

Check Also

Saindo do forno

Novidade alemã no Brasil A Mercedes-Benz anunciou nesta quinta-feira (30), o início das vendas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.